Gordura Localizada

O tratamento de radiofrequência é indicado para quem quer dissolver a gordura localizada. É isso mesmo: quando é encostado na pele, o aparelho responsável pela técnica manda algumas ondas eletromagnéticas para a região e aquece.

A gente não consegue ver estas correntes elétricas, mas sente um calor que pode chegar a 42 a 45 graus. Calma, ela não queima a pele, apenas ajuda a quebrar as células de gordura que estão em diferentes camadas abaixo do tecido cutâneo.

Mas como funciona a Radiofrequência?
Sem cortes, sem agulhas e sem marcas. Isso é ou não é evolução? A Radiofrequência tem atuação em diversas partes do corpo, falaremos como age em cada uma e seus benefícios.

No rosto:
A concentração de calor aplicada no rosto pela radiofrequência proporciona a diminuição das linhas de expressão, rugas, flacidez e melhora o contorno da face, a conhecida “papada”. É indicado entre 6 a 10 sessões com intervalos em média de uma semana entre sessões.

No Abdômen:
Ela é muitíssimo indicada principalmente para quem fez lipoaspiração, porque geralmente depois dessa cirurgia é comum a área ficar flácida. A radiofrequência no abdômen é ideal para minimizar a gordura localizada, tonificar a derme (pele) e melhorar o aspecto do umbigo após a lipoaspiração. De 8 a 15 sessões uma vez por semana.

Nos braços:
Quem nunca ouviu falar no “tchauzinho”? Basta levantar o braço e simular que está dando tchau para alguém, alguma coisa a mais ficou balançando? Pois bem, esse é o seu “tchauzinho” e acredite, incomoda muita gente. Essa gordura mais flácida que se acumula um pouco abaixo da axila pode ser melhorada com a radiofrequência. Ela promete reduzir e eliminar essas ondulações da pele, melhorando seu aspecto é claro. De 8 a 15 sessões uma vez por semana.

Nas costas:

Curiosidade: Você sabe por que chamamos de costas, no plural, sendo que só temos uma? A explicação mais aceita culturalmente é que essa parte do corpo é dividida em duas, e separada pela coluna vertebral. São músculos quase independentes que sustentam cada lado da parte do corpo, daí sendo chamada de costas, também temos como exemplo as nádegas. Enfim, voltando à radiofrequência, ela atua nas costas com o objetivo de eliminar as gorduras localizadas e deixar a cintura mais definida. De 8 a 15 sessões uma vez por semana.

Nas coxas:
Assim como nas demais partes do corpo, a radiofrequência aplicada na coxa atua melhorando a flacidez e reduzindo a gordura localizada. De 8 a 15 sessões uma vez por semana.

No glúteo:
O vulgo “bumbum” também entra na onda da radiofrequência. O aquecimento dessa área ajuda tonificar e melhorar o aspecto da celulite. De 8 a 15 sessões uma vez por semana.

Contra indicações do uso da Radiofrequência:
A radiofrequência é contraindicada em mulheres grávidas, o local a ser aplicado estar com ferida, febre e em pessoas que usam pacemaker (dispositivo eletrônico que ajuda o coração a manter um ritmo regular).

Em geral a radiofrequência não tem efeitos colaterais, no máximo pode causar vermelhidão no local, mas que passa rapidamente. Esse tratamento é seguro e não é preciso se resguardar após as aplicações. Por fim, a estética traz soluções cada vez com menos riscos à saúde e com benefícios tão eficazes quanto os da cirurgia. Lembre-se sempre de procurar um profissional da área e nunca inicie o tratamento com dúvidas, peça sempre orientações de quem irá aplicar ou de quem já fez o uso da radiofrequência.

FIT BODY PILATES - Clínica de Limpeza de Pele e Tratamentos Estéticos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *